Buscar
  • robsoncardoso9

Ensino EAD tem qualidade de ensino?

Desafios e preconceitos de mercado estabelecem mitos e verdades e analista da Esquema Pro contextualiza para você.


Ainda em tempos de pandemia, uma coisa que tem mexido com a cabeça dos jovens brasileiros, sobretudo quem acaba de terminar o 3º ano do Ensino Médio , é o prestigiado "Cursinho Pré-Vestibular". Com isso, dúvidas quanto à segurança do presencial faz com que o estudante busque alternativas! Mas será que os cursinhos online têm qualidade de ensino?

Os valores são atrativos, mas as dúvidas vão além do bolso! Frieza na explicação, aula quadradinha com tempo contado, plantão de dúvidas, questões ou aprofundamentos da matéria, poder relacionar com outro fato ou disciplina são motivos que afastam pais e alunos deste caminho.

Olhando para o lado social, é a fase da sua vida que você vai conhecer pessoas, conversar, discutir, debater e formar opiniões por que você pode e porque é jovem! Vai se apoiar e vai torcer por outros e ainda assim, não terá provas e trabalhos amedrontadores para acabar com sua moral, pois agora não é o tempo que importa, certo?

Analisando o lado corporativo, as empresas de Educação contratam profissionais, gravam suas aulas e as usam por indeterminado tempo, pagam o professor apenas uma vez e vende estas aulas por um número ilimitado de "assinantes", gerando rios de dinheiro para um produto que deixa de ser pessoal e coletivo para ser digital; ainda que o professor seja essencial para verificar o aprendizado do aluno, que as máquinas não vão superar o atendimento e as relações humanas, no curso online, todos os assinantes são padronizados por algoritmos entre certo e errado, porcentagens de questões e assertividade de respostas. Para o aluno, o fórum de questões, grupos de debates ou atividades extras, seriam a solução, porém, baixar um determinado material da internet, ler e fazer os exercícios dariam na mesma.

Se grandes plataformas têm tutores e ou professores para análise de desempenho, o que um professor regular não teria em um curso presencial, a estrutura deverá contar então com vários monitores ou tutores para que os mesmos deem conta de atender a alta demanda dos fóruns e dos ambientes virtuais de aprendizagem, o que na prática, custa caro e tamanho investimento, compensa um curso presencial.

O formato é algo a se pensar! Pois o curso escolhido não pode ser apenas vídeos ou animações, gráficos ou infográficos! As plataformas precisam contar com ambientes de interação para que o professor possa ser a ponte entre o conhecimento e o estudante. Desta forma, o estudante consegue ser bombardeado por inúmeros estímulos fora das "aulas", nas redes sociais, nos veículos de comunicação em massa e, ao chegar para estudar, pode facilmente não se interessar pelo conteúdo, o que em um curso presencial, a sala de aula, a instituição, a turma e o professor, podem intervir no processo.

A ideia da Educação moderna, baseada em cientistas da Educação, agregando conhecimentos da neurociência é que o indivíduo deixe de ser aluno e passe a ser estudante, isto é, não basta picar cartão na aula ou no vídeo, mas que leia, reflita, faça exercícios, apendendo a aprender e não a decorar conteúdos. Portanto, se não lhe é passado parâmetros e nem mesmo um ambiente de estudo é criado, possíveis colas, pesquisas na internet, plágios e outras parafernalhas possam ocorrer lamentavelmente. "-Ah, mas as provas são presenciais, fazendo do curso, algo semipresencial!" Então porque pagou algo online???

Uma grande capacidade de professores de cursos presenciais é a improvisação. Adaptar materiais, mudar o curso da lógica, intervir nos planos de aula, entre outras coisas, não são permitidas no EAD ou cursos online, uma vez que o rendimento compromete tempo, plataforma e seus profissionais, o que pode ser bom para uns (estudantes mais pontuais), ou ruins para outros.

A discussão vai longe e há defesas e acusações de ambas as partes, o que eu resumo em autonomia! Quero dizer, são duas metodologias de ensino diferentes, o que é inegável, onde uma pode chegar a lugares que a outra não pode chegar, via tecnologia da internet, bem como outra pode ser mais pessoal, logo, será a autonomia do e no processo que fará a grande diferença! Se és treinado para estudar sozinho, se consegue colocar em prática o que viu no vídeo, se tens lugar e tempo para se dedicar ao estudo, pode ser que consiga bom rendimento com o EAD por ser autodidata, e em contrapartida, se és fruto da Educação brasileira, o que já mostra um paradoxo por ter que existir cursinho, o presencial pode lhe render maiores frutos.

Independente da modalidade, o diferencial está em você! É preciso ler, é necessário que você pense, reflita, mostre pro cérebro que aquilo é importante através dos exercícios e então, na interação com outrem, consiga compartilhar ideias, conhecimento e então, novos caminhos neuronais para chegar àquilo que tal palavra, fórmula ou conceito pedem!

Se não quer ser mais uma vítima dos cursos online que podem sim, serem substituídos pelos canais de vídeo por streaming, ou You Tube, procure uma instituição que tenha o famoso tripé básico: Estrutura (nova e confortável), Professores (humanos e experientes de mercado), e preços acessíveis (parcelas que cabem no seu bolso)! Ah, enquanto você espera, outros estudam, se sacrificam firmes durante um ano, para poder viver a glória da aprovação nos anos seguintes!

Corra pra Esquema Pro!



32 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo